O Município



Foto: Rainério Nogueira

HISTÓRICO DO MUNICÍPIO
     A cidade de Senador Firmino, localizada na Zona da Mata Mineira, é relativamente nova, data de 17 de dezembro de 1938. Mas, se o município é novo, o núcleo populacional é antigo, pois data do século XVIII. As publicações oficiais informam, erradamente, como sempre, que se iniciou nos primórdios do século XVIII. O descobrimento, sim, data da era do bandeirismo.
     O grande sertanista , Coronel Salvador Furtado de Mendonça, foi um dos grandes exploradores do sertão de Minas Gerais, e foi também dos primeiros. Ainda no século XVII percorreu vários sertões, a procura de ouro. Em 1700, descobria ouro no Bom Sucesso, nas proximidades de Ouro Preto. Esteve também em Senador Firmino (1698), onde extraiu grande cópia de ouro. Alguns autores dão-no mesmo como fundador do arraial de que se originou a vila de Ribeirão do Carmo. Entretanto , a verdade é que, quando chegou ao Ribeiro do Carmo, muitos “mineiros” já ali se achavam.
     Pois bem, mais ou menos entre 1701 e 1706 cuidava o Coronel Salvador de fazer sua roça, para alimentar seu grupo, que era numeroso; nesse meio tempo, mandou que seus filhos, Antônio Fernandes Furtado e Feliciano Furtado de Mendonça, explorassem o sertão, a procura de ouro e de terras férteis. Os dois irmãos, acompanhados de outros membros da bandeira, penetraram pelo sertão de Guarapiranga, já antes descoberto pela bandeira do Capitão Antônio Rodovalho Fonseca, fundador do arraial de São Caetano do Xopotó. E naquele sertão, descobriram realmente as minas de Bacalhau, Pinheiro, Rocha, Pirapetinga e Prazeres ou Lavras Novas, todas no sertão do Guarapiranga.
     Patrimônio do Rocha, a terceira mina mencionada, foi o primeiro nome do núcleo inicial, onde se formou, mais tarde, o povoado de Conceição do Turvo, topônimo tirado do nome do rio, que chamaram de turvo e da patrona da Capela que foi erguida a Nossa Senhora da Conceição, que se transformou na querida e amada padroeira. Mas, os índios (coroados e carijós) aí eram terríveis, atacavam os brancos, destruíam-lhes as casas e as roças; por isso o povoamento não se fez com rapidez.
     Só depois de muitos conflitos é que os índios, se não foram totalmente aniquilados, foram pelo menos afastados; então é que se intensificou o povoamento lá pelos meados do século XVII. Nessa época, a maioria das sesmarias concedidas, foram para a região do Guarapiranga.
     A 09 de maio de 1753, dom Frei Manoel da Cruz, primeiro Bispo de Senador Firmino, a pedido dos moradores, dava provisão para a construção da Capela Nossa Senhora da Conceição e provê-la de Patrimônio, que ficou pertencendo à Freguesia de Guarapiranga até 1767 (14 anos). A 08 de julho de 1810 se fez à Capela a doação de um patrimônio por ventura de uns 100 alqueires de terras para o fim de se conservar a dita Capela a sustentar o Culto Divino.
     Não temos elementos para afirmar quando foi elevada a Curato. Mas, no começo do século XIX, lê-se, entre as povoações do Termo de Senador Firmino: “Arraial e Curato de Conceição do Turvo”. Com a construção da Capela e a formação do patrimônio, teria o arraial sido elevado à categoria de Curato sob o domínio da Freguesia do Pomba (durante 66 anos), que foi instalada em 25 de dezembro de 1767.
     Na primeira metade do século XVIII o povoado não foi muito notável em sua formação. Sabe-se que onde antes existia uma imensa floresta, animais ferozes e indígenas antropófagos, já se podia ver um caminho, boas vivendas, uma formosa Ermida sobre a proteção de Nossa Senhora da Conceição, um equipado moinho, um ótimo engenho de cana, um espaçoso curral, campos plantados, uma venda e o começo de um promissor comércio de importação entre o Patrimônio do Rocha, vila Rica e Rio de Janeiro. Por volta do ano de 1780 a 1800 ao lado da pequena Capela de sapé havia aproximadamente umas quinze casas de pau a pique e este número ia crescendo muito lentamente. No entanto, em 1810, com a doação de 100 alqueires de terras para a formação do patrimônio da Capela o povoado vai experimentar o seu segundo período de progresso.
     Com a visão progressista dos sacerdotes que trabalhavam na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição do Guarapiranga que na época assistiam a Capela de Nossa Senhora da Conceição do Turvo que imediatamente trataram de negociar as terras doadas para que nelas fossem feitas as edificações e para levantar fundos para a edificação da Matriz, o povoado conheceu o seu primeiro surto desenvolvimentista provocado pela venda de pequenas glebas de terra e mais a chegada dos imigrantes italianos: Fiorillo, Ferolla, Durso, Benedicto, Calderani, Gamarano, Januzzi, Pascoallini, Vigoritto e Astoni-Fontanezzi.
     A região continuou sendo intensamente povoada, durante toda a segunda metade do século XVIII, com numerosos fazendeiros que se iam estabelecendo, com a concessão de sesmarias.
     Não temos elementos para afirmar quando o povoado foi elevado a distrito; mas podemos afirmar com segurança que, em 01 de abril de 1841, quando foi criado o município de Piranga, desmembrado do de Senador Firmino, a Lei 202, que criou o novo município, já mencionava, entre os distritos que o compunham, o de Conceição do Turvo. Portanto, Conceição do turvo era distrito em 1841, embora a Enciclopédia dos Municípios informe que o distrito foi criado pela Lei 1262, de 1865.
     Em 1850, um dos distritos de Piranga, Dores do Turvo, foi elevado a freguesia, ficando Conceição subordinada a essa nova paróquia (durante 15 anos). Mas, em 17 de novembro de 1865, pela lei nº 1249, foi extinto o município de Piranga, que só voltou a ser restaurado pela Lei nº 1537, de 20 de julho de 1868. A Lei nº 1262, de 19 de dezembro de 1865, determinava em seu artigo 7º: “ Fica transferida a sede da freguesia de Dores do Turvo, do extinto município de Piranga, para o de Conceição do mesmo nome” . Ganhava assim, o Arraial os foros de freguesia. Entrou a nova Matriz no gozo de seus direitos, com a tomada de posse do 1º Vigário o Revmo. Padre Matheus Vigorito, provisionado pelo Revmo. Dom Antônio José Ferreira Viçoso ( Bispo da Diocese de Dores do Turvo) que havia cuidado desta Paróquia desde a sua criação em 19 de dezembro de 1865. Este fato que dizem ter se cercado de grande solenidade, e grandes regozijos dos habitantes locais, deu-se aos 18 dias do mês de março de 1866. Tal acontecimento auspicioso foi, depois da fundação do próprio Arraial, o mais importante, certamente de sua história, por quanto abriu uma nova era cheia de benefícios de todo o gênero.
     Por vários anos a população de Conceição do Turvo sonhou com sua emancipação do Município de Ubá. Porém a distância do distrito com a Capital Mineira, Belo Horizonte, que na época eram de mais de 400 km de péssimos caminhos, exigiam alguns dias de viagem e atrapalhavam a comunicação com a dita Capital.
     Podemos dizer que emancipação do distrito está ligada à Revolução de 1930, comandada por Getúlio Vargas. As lideranças políticas de Conceição do Turvo alimentadas pela consolidação do Governo Vargas, animadas pelo Pároco Monsenhor Antônio Maurício de Medeiros Gouveia e conhecedoras do Decreto Qüinqüenal do Presidente Vargas encaminharam o pedido de emancipação à Câmara Municipal de Ubá, que nesta época tinha como Prefeito o Dr. Ozanam Coelho, e este por sua vez encaminhou à Assembléia Legislativa Mineira e graças ao Decreto Qüinqüenal, o Governo do Estado de Minas Gerais pelo Decreto nº 148 de 17 de dezembro de 1938, resolve elevar o Distrito de Conceição do Turvo à Categoria de Município com o nome de Senador Firmino, em homenagem ao Senador do Império Firmino Rodrigues da Silva, seguindo a sugestão dada pelo Jornalista Nelson Lage Mascarenhas aos políticos de Ubá e estes aos Deputados da Assembléia Legislativa Mineira.
     Ficaram pertencendo ao novo Município de Senador Firmino os distritos de Brás Pires e Dores do Turvo.
     O novo Município foi instalado em primeiro de janeiro de 1939, com a posse do primeiro prefeito da cidade, o Dr. Antero Raimundo Gomes.


LOCALIZAÇÃO
     O Município de Senador Firmino situa-se na Zona da Mata do Estado de Minas Gerais, limitando-se com os municípios de presidente Bernardes, Brás Pires, Dores do Turvo, Ubá. Divinésia e Paula Cândido. Compreende uma área de 166,6 Km2 . Sua posição geográfica é determinada pelo paralelo de 20º 54´59” de latitude sul em sua interseção com o meridiano de 43º 05´59” de longitude oeste.
     A infraestrutura básica de transporte do Município constitui-se de ligações rodoviárias. As rodovias BR 040, BR 265, MG 448 e MG 124 compõem os principais eixos de tráfego do município.
     As distâncias aos principais centros urbanos são listadas a seguir:
          Brasília- 990KM
          São Paulo – 615 KM
          Rio de Janeiro – 320 KM
          Vitória – 450 KM
          Belo Horizonte – 220 KM


SITUAÇÃO FÍSICA
     A sede do Município possui um relevo montanhoso, com altitude média em torno de 660m. A Altitude máxima no Município é de 909 m, verificada na divisa com o Município de Ubá, e a mínima é de 600m na divisa do município de Presidente Bernardes.
     O Município de Senador Firmino, conta com pequenas comunidades rurais, dentre elas estão: Grama; Massena; São Manoel; Barra do Turvo; Palmeiras; Dias; São Francisco; Sobreira e outras.



Foto: Rainério Nogueira

ÁREA E LIMITES
     O Município está situado a Sudeste do Estado de Minas Gerais, Zona da Mata Mineira, Micro Região de Ubá, com área de 166,6 km2. Sua posição geográfica é determinada pelo paralelo de 20º54´59´´ de latitude sul em sua interseção com o meridiano de 43º05´59´´ de longitude oeste. Faz limites com as cidades de Dores do Turvo, Divinésia, Brás Pires, Presidente Bernardes, Paula Cândido e Ubá.

HIDROGRAFIA E CLIMA
     O Município de Senador Firmino, está localizado na Bacia Hidrográfica do Rio Doce. Os principais cursos de água da região são os Rios Turvo e Ribeirão São Francisco.
     O clima da cidade é variado, com temperatura média anual de 19,4ºC, com índice médio pluviométrico anual de 1.221,4 mm.



Foto: Rainério Nogueira

SITUAÇÃO DEMOGRÁFICA
     Segundo estimativa do IBGE em 2013 a população residente no Município de Senador Firmino, apresenta os seguintes resultados:
 

População estimada 2013

7.598

População 2010

7.230

Área da unidade territorial (km²)

166,495

Densidade demográfica (hab/km²)

43,42

Código do Município

3165701

Gentílico

Firminense

Prefeito

ACHILLES BENEDITO DE OLIVEIRA

SITUAÇÃO ECONÔMICA
     No Setor Industrial, destaca-se Laticínios Sérvulo; Fábrica de Pré moldados Stopatto & Cia; Fábrica de Pré Moldados e Artefatos de Granito Premar Ribeiro Ltda.
     Na área comercial o município conta com várias opções no fornecimento de: roupas; calçados; cereais; produtos farmacêuticos, materiais de construção, móveis, eletrodomésticos, etc...

MEIOS DE TRANSPORTE

Senador Firmino é servida pelas rodovias:
          • MG.124 - Ligando à Ubá - 32 Km
          • MG.280 – Ligando à Viçosa – 54 Km ; à Dores do Turvo – 14 Km; à Barbacena 112 Km
          • MG.840 – Ligando à Brás Pires – 24 km; à Presidente Bernardes – 28 km
     As vias de acesso a Senador Firmino são todas Rodoviárias, sendo pavimentadas as MG 124 e MG 840, não sendo pavimentada a MG 280 até Paula Candido. Não existe acesso ferroviário, fluvial e aéreo.
     A cidade é servida por linhas de ônibus das Empresas Barraca; Unida e Pássaro Verde.

ASPECTOS SOCIAIS
     A cidade possui um traçado de forma irregular, construída em terreno montanhoso, com parte de suas construções em morros. Seus prédios , na maioria são de construção simples, mas de aspecto agradável; as ruas são, em sua maioria, calçadas em poliédricos e paralelepípedos, os jardins arborizados, fornecendo à nossa cidade uma paisagem tranqüila e hospitaleira.
     A energia elétrica é fornecida pela Energisa Minas Gerais – Distribuidora de Energia S/A; e no campo das Telecomunicações, a cidade é servida pela OI TELEMAR NORTE LESTE S/A telefonia fixa a telefonia móvel é servida através da operadora CLARO.
     Na área de comunicações , o município recebe satisfatoriamente imagem das principais estações de televisão do País.
     Existe no Município uma agência da Empresa de Correios e Telégrafos e também uma rádio Comunitária, cuja freqüência é 87,9. Outro meio de comunicação é o Jornal Usina de Eventos, de tiragem mensal, traz informações sobre o município de Senador Firmino e Cidades Vizinhas gerando intercâmbio sócio-econômico e Cultural.
     No setor de Educação, Senador Firmino com escolas de 1º e 2º graus.
     O setor de saúde da Prefeitura Municipal de Senador Firmino funciona de acordo com as diretrizes do SUS – Sistema Único de Saude, podendo a Secretaria Municipal definir a política utilizada, gerir e ainda executar os serviços dessa área. O município conta com um hospital, possuindo 43 leitos e oferecendo, ainda, transportes regulares para as cidades vizinhas de maior porte e Belo Horizonte, nos casos mais complexos e emergenciais.
     A cidade possui ainda um Centro de Saúde; dois Postos de Saúde na Zona Rural; cinco consultórios odontológicos particulares, um consultório médico particular; um serviço de Ultra-Sonografia; um consultório odontológico da Prefeitura Municipal; dois PSF – Programa de Saúde da Família. Conta também com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE e uma Casa de Repouso para idosos e idosas, ou pessoas necessitadas.
     Possui ainda um Centro de Formação de Condutores de veículos, com exames de direção realizados pela banca examinadora de Ubá mensalmente.
     Senador Firmino possui um ativo comércio: bares e restaurantes, hotéis, farmácias, materiais de construção, supermercados e mercearias. Mas na área de serviços, o índice de oferta de empregos ainda é muito baixo resultando na ocorrência de fluxo migratório para grandes centros, como: São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Juiz de Fora etc, para onde correm principalmente os jovens em busca de melhores oportunidades.
     O Sistema Bancário conta com o Banco do Brasil S/A, o Banco Postal “ Bradesco” e uma unidade Lotérica da CEF.
     Há dois Cartórios de Ofício e Notas, um Cartório de Registros e Protestos, dois Postos de Combustíveis.

SISTEMA DE ÁGUA

     O Sistema de Abastecimento de Água de Senador Firmino, foi projetado e construído pela ex FSESP ( Fundação de Serviços de Saúde Pública), hoje FUNASA (Fundação Nacional de Saúde).
     Os recursos que possibilitaram a implantação do sistema de abastecimento de água da cidade em sua concepção inicial foram oriundos do Ministério da Saúde, através da Fundação de Serviços de Saúde Pública (FSESP).
     As obras de construção do sistema foram executadas através de convênio firmado entre a Fundação e o Município de Senador Firmino.



CAPTAÇÃO

     A captação é feita através de uma barragem no Ribeirão São Francisco, através de duas tomadas simples situadas uma na margem direita e outra na esquerda do mesmo.
     Composta de duas adutoras; uma com tubulação de PVC 200 mm de diâmetro e a outra em PVC 150 mm de diâmetro, com uma extensão de 3200 metros cada, que transporta água bruta por gravidade até a Estação de Tratamento de Água.


ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA

     A Estação de Tratamento de Água é do tipo convencional, com capacidade nominal para 10 l/s funcionando com sobrecarga de 69%. É constituída basicamente das seguintes unidades:
          a) Mistura rápida: realizada com calha parshall de 3” em concreto.
          b) Mistura lenta: realizada em floculadores de mistura lenta.
          c) Decantação: realizada em decantadores de fluxo horizontal, seção retangular, operando continuamente.
          d) Filtração: realizada em dois filtros rápidos.
          e) Desinfecção.
          f) Correção do PH.
          g) Fluoretação.
          h) Reservatório de contato.
     Depois de tratada, a água é recalcada para o reservatório de distribuição através de um conjunto moto-bomba, com capacidade nominal de 16,91 l/s, motor de 15 CV de potência.
     A Estação de Tratamento de Água possui uma casa de Química com laboratório instalado para realizar as seguintes análises: TURBIDEZ, ALCALINIDADE, PH, TEOR DE CO2, RESIDUAL DE CLORO, COR E CONCENTRAÇÃO DE ÍON FLUORETO.
     Hoje realiza análise de coliformes, através do método presença/ausência, em amostras de água dos diversos pontos da cidade, controlando a qualidade da água, conforme parâmetros dispostos e legalizados pelo Decreto 5440 do Ministério da Saúde.


RESERVAÇÃO

     O sistema de reservação é constituído por 01 (um) reservatório de distribuição apoiado de 150 m3 na ETA, e 01 (um) reservatório capacidade de 20 m3 para lavagem de filtros e consumo na ETA, 03 reservatorios apoiados com capacidades de 50, 40 e 20 m3 e ainda 4 reservatorios elevados, sendo 02 de 10 m3 e 02 de 20 m3 ; todos instalados em pontos estratégicos como forma de abastecer a cidade por setores.


Atendimento
Telefone: (32) 3536-1126
atendimento@saaesenadorfirmino.com.br
Endereço
Rua Pio XII, N?40 - Centro
Senador Firmino - Minas Gerais
CEP: 36540-000
Serviço Autônomo de Água e Esgoto ?2015 Direitos reservados.
DV9 Soluções Digitais

DV9 Soluções Digitais

Piaget, Chopard and Zenith had set up benches with one of their master swiss replica watches watchmakers working on one or more trademark movements of the manufactures, while Jaeger-LeCoultre hosted a public workshop replica watches sale with participation fees going to a charity organization. My first stop was at Chopard where I saw their watchmaker trying breathe new life into what appeared to be a very intricate swiss replica watches movement. The piece turned out to be the L.U.C. 1.96 QP, which is an in-house made, modular, perpetual calendar movement. Modular means that there is a completely functional base movement with the basic replica watches sale functions of hours, minutes, seconds and maybe a simple day of the week. Then, there is a module (seen on the image above) which is replica watches much like a special extension for the base movement. It contains one or more complications and cheap replica watches is installed on top - or under - the base movement.